Monday, May 7, 2012

"O álbum começa no domingo e termina no sábado."

Translated, it means "the album starts on Sunday and ends on Saturday". It wasn't me who said it, it was MCK, right at the intro. That's exactly what we'll do here at the Lounge: during this upcoming week until Saturday, I will post a couple of songs from MCK's latest album, Proíbido Ouvir Isso, as a way to celebrate an artist whose work I admire. It wasn't too long ago that MCK was distributing his albums on an underground network via his trusted friends because he thought it too unsafe to show his face in public; today, he has become so much more than a hip-hop artists, and those who have followed his journey know that well. Proíbido Ouvir Isso has been playing on my iPod, in my house, on the way to work, for weeks now...around here, it's everything but proíbido (prohibited).

Today, we'll start at the beginning: the intro, Fogo Amigo. The first time I heard it, what touched me the most, besides MCK's words of wisdom with which he traditionally starts his albums, was the song he covered. That guitar, the lamenting chorus: "na kaminho di luta..." Who was that? Which song is that? It didn't take long to find out. One quick question to a friend, who turns out was the guy who actually suggested the song to MCK, and I found out who the owner of that voice was. It was none other than the great Zé Manel, one of Guinea-Bissau's most celebrated musicians, there to remind us that there is actually more than coup d'etats and narcotrafficking in that failed state. They still make beautiful music there. The song is called Na Kaminho di Luta and you can find it on the Maron di Mar album, available for download on Amazon. It's an extraordinary song, incredibly haunting; I found myself listening to it again and again, trying to understand Zé Manel's creole poetry. Press play and listen for yourself - both MCK's intro and the song that inspired it. Thank you, Zé Manel.

Fogo Amigo
Na Kaminho di Luta

Não fui eu que disse, foi o Katro! Logo na intro. É exatamente o que farei aqui no Lounge durante a próxima semana: cada dia irei postar músicas do álbum Proíbido Ouvir Isso, como celebração do trabalho de um cantor que admiro. Aliás, há muito que o MCK deixou de ser somente um cantor, e os que conhecem o seu trajecto sabem-no perfeitamente. Proíbido Ouvir Isso tem tocado no iPod, em casa, ao caminho do salo...nestas bandas, é tudo menos proíbido.

Hoje, comecemos pela intro, Fogo Amigo. A primeira vez que a ouvi, o que me tocou mais, para além das sempre sábias palavras com as quais o Katro já nos habituou nas intros dos seus álbuns, foi a música do fundo. Aquela guitarra, aquele refrão, que quase parece um choro: "na kaminho di luta..." Não foi preciso muita pesquisa para conhecer a fonte: bastou uma pergunta bem colocada a um amigo, por sinal o mesmo que sugeriu a música ao Kapa, para saber de quem era esta linda música. Nada mais nada menos que o grande Zé Manel, músico consagrado do nosso país irmão, aquele que está sempre em sofrimento, a Guiné Bissau. Ainda se faz música de qualidade naquele país. A música chama-se Na Kaminho di Luta e faz parte do álbum Maron di Mar (que pode ser downloadado no Amazon). É uma canção extraordinária, comovente, um lamento; dou por mim a ouvi-la várias vezes, a tentar compreender o crioulo do kota Zé Manel. Vá-la, carrega no play e aprecia tanto a intro como a sua fonte de inspiração. Obrigado, Zé Manel.


No sofa da sala todos são críticos
Na rua é só sim chefe;
No trabalho é só sim chefe;
No partido é só sim chefe.

O Kapa do cacimbo é o mesmo do verão...

1 comment:

Blogger said...

There's a chance you are qualified to get a $1,000 Amazon Gift Card.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...