Monday, March 30, 2009

Bidinte

Bidinte
You have most likely come across the grim story of Guinea-Bissau's recent coup d'etat. You have probably seen pictures of the blood splattered kitchen where Ex-President Nino Vieira was shot and attacked with machetes, days after he had ordered the death of his army chief. The next day, there wasn't even any kind of popular unrest, and incredulous Westerners reported that the locals didn't care much about what had happened and were not that surprised. That is the real tragedy of Guinea-Bissau, one of the poorest countries in the world and lagging behind every kind of conceivable development index. A bloody, violent double murder that ended with the death of the two most powerful people in the country failed to shock the tired population, the population of a country that displays to the world the worst of what Africa, and humans, are capable of doing.

This is the kind of atmosphere and reality that has spawned Bidinte, a gifted song writer, composer, percussionist, vocalist, and guitar player. He sings in Guinean Creole, a fusion of Portuguese and native African dialects. Bidinte is proof that even in the most hellish of places, art survives. Music exists. Poetry is created. Bidinte's songs are mournful and haunting, with clear Malian influences that when paired with his vocals and guitar, produce a very fresh sound. Considjo di Garandis is a great example. However, the juxtaposition of his words and the images in his video for the song Ke Cu Menino Na Tchora, available on iTunes, left me speechless...

Considjo de Garandis

Normalmente, só ouvimos falar de Guiné Bissau quando alguma tragédia acontece. Recentemente, foi a morte violenta, à catanada, do seu Presidente, feita como resposta à morte do seu chefe das forças armadas, que ele mandou matar. Nos dias seguintes, não houve nenhuma grave reação da população. Jornalistas europeus e americanos perguntavam, incrédulos, como tanta apatia era possível depois de um evento como este. Esta é a real tragédia de Guiné Bissau: ja aconteceu tanta besteira que a sociedade perdeu a sua capacidade de admiração. A morte violenta das duas pessoas mais importantes no vida política do país não admirou la muita gente. E assim caminha Guiné Bissau, rumo ao fracasso total.

É este tipo de ambiente que produz um Bidinte. Bidinte este que, na face de tanto descalabro, optou pela música, pela poesia, pela guitarra, pelo batuque, em fim, optou pela responsabilidade de trazer um pouco de felicidade à sua gente. Bidinte é prova de que mesmo quando o ser humano opta por transformar um paraíso, como são as terras de Guiné Bissau, em inferno, a arte sobrevive. A música não para. A poesia não morre. As canções de Bidinte são tristes e emocionantes, com claras influenças de música maliana que, quando combinado com as habilitações vocais do mesmo, produzem um som único. Considjo di Garandis é um belo exemplo. Mas as imagens e a letra da música Ke Cu Menino na Tchora deixaram-me sem palavras...




Bidinte on NatGeo
Bidinte CD Kumura

2 comments:

Aale Boek said...

Hey ... nice blog. Going to follow it, if you post more of Ive Mendes ... huhuh.

Claudio said...

Haha Aale, watch this space...there is a video coming soon.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...